O 1º termo do curso de Arquitetura e Urbanismo da Toledo Prudente Centro Universitário colocou a mão na massa, literalmente. Eles construíram um forno de pizza. 
 
De acordo com o professor, Alfredo Zaia, um dos responsáveis pela atividade, essa é uma forma de integrar os alunos que chegaram no curso há pouco e trabalhar técnicas da Arquitetura e Urbanismo.
 
“O grande objetivo da atividade é promover a integração entre os alunos do 1º termo e apresentar a eles elementos da Arquitetura possíveis na construção do forno, além de se familiarizarem com materiais de construção”, comenta.
 
O professor explica que a ideia pioneira da atividade foi proposta pelo professor, Vitor Lotufo, da PUC de Campinas. 
“O professor apresentou uma técnica para o forno de pizza, que leva terra peneirada, açúcar e água. Os alunos prepararam a massa e depois fizeram o assentamento do forno”, completa Zaia. 
 
Enquanto parte da turma se empenhava em construir o forno, outra parte também colocava a mão na massa, dessa vez, na cozinha, produzindo pizzas! O professor Roberto Bertoncini esteve à frente desta atividade.
 
“Ao produzir as pizzas, eles lidam com vários conceitos como medidas e organização em equipe. Para nós, professores, é um momento de profunda realização, pois podemos perceber o quanto uma atividade pode ser útil na rotina deles. Humanizar o conhecimento é a grande chave”, comenta Bertô.
 
E os alunos? O que acharam?
“Nunca tinha visto algo parecido, entrei na faculdade imaginando ‘ah, vou só desenhar né?’. A aluna Ester Hadassa Lavreca comenta como a atividade foi impactante. “Foi muito legal, pois trabalhamos em unidade e não tinha pensado até então que colocaríamos a mão na massa assim. Me deparei com a atividade e me surpreendi”, relata.
 
Para Vinicius de Souza Reginato, a construção de um forno de pizza é tudo de diferente que ele já fez.. “Aqui é tudo novo, e a atividade foi muito diferente, nós fizemos todo o processo, desde a mistura dos materiais para fazer a massa até a construção do forno. Antes de chegar aqui, não imaginei que colocaria a mão na massa de verdade”, salienta.