O curso de graduação em Engenharia Civil da Toledo Prudente acaba de obter o reconhecimento de excelência do Ministério da Educação (MEC)
 
A avaliação foi realizada por uma comissão de especialistas do órgão oficial de educação , que esteve na Toledo Prudente Centro Universitário no final do ano de 2018.
 
Em uma escala de 0 a 5, a nota atribuída pela comissão avaliadora foi de 4.
 
Os membros do MEC avaliaram organização didático-pedagógica, corpo docente e infraestrutura do curso de Engenharia Civil da Toledo Prudente Centro Universitário.
 
A reitora da Toledo Prudente, Zelly Pennacchi Machado comemora o reconhecimento e enfatiza que essa conquista é de toda a comunidade acadêmica: professores, alunos e colaboradores.
 
Segundo o coordenador do curso de Engenharia Civil da Toledo Prudente, Marcos Frois, o reconhecimento motiva a continuidade dos trabalhos e a certeza da colheita de bons frutos. 
 
“Estamos muito felizes, pois além do reconhecimento oficial do MEC, percebemos o reconhecimento do mercado, por meio da rápida inserção dos nossos alunos e ex-alunos que se encontram atuando profissionalmente não apenas em nossa região, mas em outras localidades”, revela o coordenador.
 
Fernando Cesar Hungaro é professor do curso de Engenharia Civil. Para ele, esse é um momento histórico.
 
“O nome Toledo Prudente já é um fator de abertura de novas possibilidades para os alunos, o que agora é potencializado ainda mais por meio do reconhecimento do órgão oficial que regulamenta a educação no Brasil. Estamos muito felizes com mais essa conquista”, diz.
 
Gustavo de Oliveira Cardoso formou-se em Engenharia Civil em 2018 e antes mesmo da sua colação de grau, foi contratado pela Ecopontes – Sistemas Estruturais Sustentáveis para trabalhar como engenheiro orçamentista.
 
Ele recebe a notícia do reconhecimento com bastante alegria. “Todos nós já imaginávamos que esse reconhecimento viria com excelência, porque sabemos da qualidade ofertada pela Toledo Prudente nos anos em que frequentamos os bancos acadêmicos. Para nós, alunos, não foi nenhuma novidade”, brinca.
 
“O nome Toledo Prudente já é um fator de abertura de novas possibilidades para os alunos, o que agora é potencializado ainda mais por meio do reconhecimento do órgão oficial que regulamenta a educação no Brasil. Estamos muito felizes com mais essa conquista”, diz.
 
 
 
Autorização x Reconhecimento – No Brasil, toda instituição de ensino superior precisa ser credenciada junto ao Ministério da Educação. Sem esse requisito, ela fica impossibilitada de emitir diplomas de forma legalizada. Uma vez credenciada, a instituição tem autorização para criar cursos novos, devendo então solicitar o reconhecimento do MEC.
 
Assim, uma comissão do MEC visita as instalações, avalia a relação de docentes, matriz curricular, laboratórios, bem como outros aspectos que impactam de modo significativo na qualidade do curso. É com base neste levantamento que os avaliadores do MEC vão reconhecer o curso, apontar fragilidades ou ainda, dar parecer pelo não reconhecimento.
 
Os cursos que não cumprem as exigências estipuladas ou não possuem a qualidade nos pontos avaliados, são fechados e os alunos são transferidos para outra instituição de ensino superior.