Nos últimos dias, as fortes chuvas que atingiram a cidade de Presidente Prudente provocaram alagamentos na região do Parque do Povo. Este é um problema recorrente na cidade quando há um grande volume de chuva.
 
Um recente estudo, desenvolvido pelo egresso do curso de Arquitetura e Urbanismo da Toledo Prudente Centro Universitário, Marcos José Martins da Costa, propõe soluções para os problemas de enchentes que assolam o local.
 
Intitulado “Projeto de Reestruturação do Sistema de Drenagem do Parque do Povo de Presidente Prudente”, o trabalho de conclusão de curso sugere a implantação de galerias de retenções em pontos estratégicos. O arquiteto e urbanista, comenta que as galerias são fundamentais para reter o excesso de água escoada pela canalização e retomar a eficiência do sistema de drenagem do Parque. 
 
O orientador do estudo, professor Luciano Osako, diz que este é um local que tem grande riscos de alagamentos. “O Córrego do Veado, que atravessa toda a extensão do Parque, recebe muita contribuição do volume de água, por outros córregos urbanos e por ser o ponto mais baixo desta bacia”, explica.
 
“Além disso, a alta urbanização do entorno reduz a infiltração da água no solo e a própria canalização do córrego que não foi planejada de forma correta”, acrescenta o professor.
 
Costa diz que o estudo se iniciou com um aprofundamento nos aspectos conceituais, sistemas de drenagem urbana e um levantamento histórico do Parque do Povo. “Posteriormente, realizei diversas análises como o levantamento da bacia hidrográfica do Córrego do Veado, principais córregos ligados à bacia, levantamento topográfico e identificação dos principais pontos de concentração de água para a implantação das galerias de retenção”, completa.
 
“Este é um trabalho de extrema importância, pois traz reflexões sobre a problemática da drenagem urbana no Parque do Povo e aponta uma solução técnica para um problema crônico que a cidade enfrenta”, conclui o professor.