A Toledo Prudente Centro Universitário, por meio da Empresa Jr. e do curso de Serviço Social, em parceria com a Prefeitura de Presidente Prudente, apresentou nesta terça-feira (28) os dados produzidos na extensão para as equipes dos Centro de Referência Especializado da Assistência Social (Creas) referente aos índices e perfis de adolescentes que cumprem medidas socioeducativas, além de crianças e adolescentes, mulheres, idosos e pessoas com deficiência vítimas de violência.
 
Segundo a coordenadora do curso de Serviço Social da Toledo Prudente, Juliene Aglio de Oliveira, essa prestação de serviço é importante no meio acadêmico e também para a Secretaria de Assistência Social, porque permite que o órgão conheça melhor os usuários, suas demandas e qualifique a gestão. 
 
O papel da Toledo Prudente nessas ações junto ao Creas se dá por meio de um contrato licitatório estabelecido pelo período de um ano com a Prefeitura, por meio do qual são produzidos indicadores sociais a cerca de cinco serviços: crianças e adolescentes em situação de violência, idosos e pessoas com deficiência em situação de violência, mulheres em situação de violência, população em situação de rua e adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa.
 
“Os alunos geram as informações de cada Creas, a partir dos cadastros que são feitos pela Secretaria Municipal de Assistência Social, compartilhamos e discutimos com os técnicos os indicadores, produzindo assim, conhecimento acerca de cada serviço, junto com o setor de vigilância socioassistencial e as equipes da Prefeitura”, explicou Juliene.
 
Dentre os fatores analisados na pesquisa, foram levantados o perfil das crianças e adolescentes em situação de violência, demonstrada mediante estudo estatístico e elaboração de indicadores sociais dos tipos mais frequentes contra a criança e ao adolescente, análise do perfil do agressor e a apresentação dos resultados obtidos no atendimento a vítima.
 
“No cotidiano, devido ao número de atendimentos, a gente não tem tempo de levantar esses dados e até mesmo divulgar essas informações mais aprofundadas. Então, com essa parceria fica mais fácil fazer o planejamento das ações, saber exatamente aonde temos que agir, além de fazer comparações com anos anteriores e ver aonde a gente conseguiu evoluir, se o perfil do adolescente continua o mesmo, enfim, nos ajuda muito”, destacou a assistente social do Creas, Ana Cláudia Cortez Ramires. 
 
Os dados obtidos por meio do diagnóstico são sigilosos e de responsabilidade da Secretaria de Assistência Social de Presidente Prudente.