O Startup Weekend realizado em Presidente Epitácio (SP), reuniu além de empreendedores, mentores e potenciais investidores, dez grupos em busca do título de campeão da competição. Condição que lhes permite participar do evento nacional.
 
Como sempre, onde tem assuntos relacionados ao empreendedorismo, inovação e tecnologia, tem alunos da Toledo Prudente. E nessa, além da participação teve aluna levantando a taça. Maria Mirela Silva Brito, 19, aluna do 4º Termo de Ciência Contábeis estava no grupo campeão do Startup Weekend.
 
 
Ela conta que durante três dias, seu grupo se empenhou ao máximo para apresentar uma plataforma para auxiliar psicólogos e pacientes no tratamento de TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade). A ideia encantou os jurados. 
 
“Eu amei participar. Sempre quis ser empreendedora e esse foi um meio que achei aprender e desenvolver ideias para meu próprio negócio no futuro”, disse Maria Mirela.
 
Ainda de acordo com ela, a todo momentos conteúdos de sala de aula eram revisitados para auxiliar o grupo. “As aulas de Design Thinking têm tudo a ver com o planejamento de uma startup, como por exemplo, o Canvas e as persona. Além disso, tem ainda a parte do custo, os lucros, salários de cada membro da equipe e outros”, afirmou. 
 
Além da aluna da Toledo Prudente, o grupo era formado ainda por Natalia Favareto (developer full-stack), Caio Russi (data scientist), Murilo Siqueira (developer front-end), Arthur Pires (designer), Felipe Blini (developer front-end), Matheus Azambuja (developer front-end), Emanuelle Alencar (marketing strategy planner), Mateus Antônio Guelfi (market analyst), Arthur Correa (customer experience), Christopher Alves de Oliveira (comercial), Inácio Ribeiro (market analyst), Hélio Gomes Filho (developer back-end), Maria Mirela (accountant) e Luciara Magalhães (customer success). 
 
Saiba mais sobre a ferramenta – Ela tem o propósito de adequar o tratamento de TDAH a era da WEB 4.0. Durante a validação, eles se depararam com a falta de interesse de crianças no tratamento até então utilizado. A proposta é adequar a metodologia, que se prova eficiente, a um mundo onde as crianças já nascem conectadas. A tecnologia adotada estimulará o engajamento através de jogos interativos e personalizados, sempre acompanhado por um profissional. O objetivo é revolucionar o tratamento infantil de TDAH.